Você jogava antes e vai jogar agora

hannah-rodrigo-320734-unsplash

Se você foi criança nos anos 1980 e 1990 (até mesmo no começo dos anos 2000), vou fazer uma aposta para você. Imagine alguns jogos de tabuleiro daqueles bem clássicos. War, Banco Imobiliário, Detetive, Imagem & Ação… O que preferir! Agora force um pouco mais sua memória e lembre em que momentos você jogava esses jogos. Minha aposta é: esses momentos envolvem seus amigos e amigas, primos e primas, irmãs e irmãos, às vezes até seu vizinho. Aposto também que esses eventos eram acompanha dos de comidas gostosas e, na maior parte das vezes, boas risadas.

Se eu ganhei minha aposta, você sentiu uma nostalgia gostosa. Talvez até tenha dado um sorriso silencioso enquanto lia. Há um motivo para isto. Vivemos em tempos líquidos. Tudo flui bastante rápido. Isto não é ruim, longe disto! Só que às vezes queremos a tranquilidade e parcimônia daquela época. Nós crescemos e os jogos de tabuleiro junto conosco. Você pode ter a impressão que os jogos de tabuleiro (ou boardgames) desapareceram no mercado e perderam força nos últimos tempos.

Na Europa, este mercado sempre se manteve firme e forte, mas essa percepção não é completamente equivocada. No Brasil, por sua vez, as empresas responsáveis pela produção, adaptação e distribuição desses jogos perderam espaço e, por tabela, estes jogos também. Isso vem mudando. As empresas atuais de jogos de tabuleiro modernos aqui no Brasil tiveram um crescimento de até 10 vezes nos últimos cinco anos. Os eventos em que jogadores se reúnem veem seu público aumentar exponencialmente. Clubes de jogos de tabuleiro, as luderias, como são chamadas, aparecem Brasil afora. A nostalgia pode até ter trazido parte desse público de volta aos boardgames, mas ela sozinha não conseguiria manter um público cativo e tampouco atrair o jogador jovem.

A verdade é que os jogos fazem isto sozinhos. O desenvolvimento de jogos de tabuleiro aperfeiçoou se a um ponto em que temos todos os tipos de experiências possíveis para os públicos mais diversos. Desde jogos profundos e reflexivos até passatempos breves para se ter no churrascos. Jogos para uma pessoa só ou para grupos de 10, 12 ou até mais amigos. Os jogos de tabuleiro vieram (voltaram?) pra ficar. Não precisa acreditar em mim. O mercado mostra isto. Cabe a você se perguntar se quer reviver aquela memória tão querida que tinha. Tenta. Tenho certeza que vai criar muitas novas.

Angelo Parisotto Cirurgião-Dentista, professor universitário, Sócio-Proprietário do Sótão Boardgame Club

Sobre o autor

Flash Vip

Flash Vip

Revista catarinense com foco em cultura, comportamento, variedades e o que mais for pautado pelo cotidiano.

Deixe seu comentário

Gestor Box