CULTURA E VARIEDADES DESTAQUE

Simples assim

simples_assim_ISBN_hd

Por Silvane Alves Loro

O final de ano tem dessas coisas: os dias parecem ter outra velocidade, as 24 horas parecem que já não são mais as mesmas. E, neste frenesi, chegou o Natal!Esta agitação não é privilégio somente de um ou de outro. Tente ver os amigos nesta data, fazer um churrasco no domingo, tomar um mate no fim da tarde. Impossível! A menos que você marque na agenda, como se fosse um compromisso (e é!). Foi assim que, entre as correrias (digo, atividades) do dia, o filho na escola, a bebê serelepiando pela casa, cogitei: será que vou dar conta de fazer o texto dessa vez? Será que vai dar tempo? Será?! Enquanto ainda pensava nas respostas, parti em direção à livraria. Saí animada, como sempre, tendo saudade de um tempo em que, num domingo qualquer, acordava, fazia um café e via que o único compromisso era ler este ou aquele livro. Lembranças de um passado nem tão distante assim, mas que tudo parecia diferente. O que mudou nesse meio tempo: a gente ou o mundo?!

Sei lá, dezembro tem dessas coisas né?! Não, não estou falando da correria, mas sim da reflexão, avaliação do que somos e do que queremos ser; e quando se tem filhos: que pais somos e que pais queremos ser. Foi pensando nesta reflexão que busquei trazer às páginas da revista uma antiga conhecida, abandonada entre uma fralda e outra: Martha Medeiros. Ela que sempre parece viver freneticamente, em constante movimento, mas que consegue, com suas crônicas, nos propor esta pausa, este respiro. Com textos do cotidiano, analisa os passos ao seu redor, o comportamento social e, se você prestar atenção, lá nas entrelinhas, tem ainda espaço para grandes puxões de orelhas. Simples Assim foi lançado este ano e faz exatamente isso. No final, vai um pouquinho além e dá dicas: “Se te perguntam, responda. Se te emprestam, devolva. Sem dinheiro, não compre. Se te dão, agradeça. Se te confiaram, cuide. Se te agridem, afaste-se. Se te pagaram, entregue.

Se cansou, pare. Se te confidenciaram, silencie. Se te roubaram, acuse. Se colocou no mundo, crie. Se contratou, pague. Se gostou, fique. Se não gostou, recuse. Se errou, desculpe-se. Se acertou, repita. Se tem que fazer, faça. Se prometeu, cumpra. Se vai atrasar, avise. Se te necessitam, ajude. Se você precisa, peça.” Simples Assim! A isso tudo Martha chama de transparência e assertividade. Com estas duas características, percebemos que é preciso decidir os rumos que vamos tomar e parar de ir apenas levando; no entanto, só podemos decidir o futuro se tivermos clareza das regras do jogo e se soubermos aonde queremos chegar. De um jeito ou de outro é preciso ver os amigos, seja com hora marcada, seja só para dar um abraço (porque a agenda estava cheia). De um jeito ou de outro seu filho vai crescer, você vendo ou não. De um jeito ou de outro a sua faculdade vai chegar ao fim.

De um jeito ou de outro o trabalho vai ser feito. Mas é preciso decidir como: se marcando hora com os amigos; ficando em casa com as crianças; estudando pra valer ou levando nas coxas. A vida é o agora. E o agora é o mais importante. Não vale a pena deixar para ser melhor amanhã ou no ano que vem. É simples. É assim. É simples assim!

Sobre o autor

Flash Vip

Flash Vip

Revista catarinense com foco em cultura, comportamento, variedades e o que mais for pautado pelo cotidiano.

Deixe seu comentário

Gestor Box