SAÚDE E BEM-ESTAR

Menos invasivo e eficaz contra as varizes

col-mack-fox-musicfox-572510-unsplash

Por Fernando Bonetto SchinKo Integrante da Sociedade Brasileira de Cirurgia Vascular (SBACV) e professor na Unochapecó

No Brasil, estima-se que 45% das mulheres e 30% dos homens sofram com varizes, segundo a Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular. Para iniciar um tratamento é preciso identificar os problemas que acometem os pacientes, para depois apontar o melhor procedimento. Hoje, são cada vez mais indicados o uso de métodos menos invasivos para evitar a cirurgia.

Um dos tratamentos mais indicados e modernos na atualidade é com espuma, que consiste na injeção de substância esclerosante dentro da veia, que causa um processo de destruição do vaso doente e alivia os sintomas das varizes de cansaço, peso ou queimação.

A substância se expande e gruda nas paredes internas do vaso, empurrando o sangue para fora. Sem sangue, a veia vai secar com o tempo. Depois de fazer esse procedimento, é necessário usar uma meia elástica por cerca de 15 dias, mas a paciente sai andando e nem precisa fazer repouso.

É um processo pouco doloroso e não precisa de internação hospitalar. O paciente pode retornar ao trabalho logo após o procedimento, que é realizado no consultório e cada sessão dura cerca de 30 minutos. A técnica da espuma é indicada para tratar pacientes com hipertensão venosa, varizes calibrosas, úlceras de perna ou quem tem risco aumentado para realizar a cirurgia (tratamento convencional).

Pessoas que têm insuficiência venosa crônica também reagem bem à técnica. Contudo, é preciso alertar que somente o médico especialista pode indicar o melhor tratamento e o melhor especialista é aquele que tem conhecimento e as técnicas existentes à sua disposição.

Sobre o autor

Flash Vip

Flash Vip

Revista catarinense com foco em cultura, comportamento, variedades e o que mais for pautado pelo cotidiano.

Deixe seu comentário

Gestor Box