CULTURA E VARIEDADES DESTAQUE

Estrada adentro, mundo afora

artistas da adentro

Artistas do coletivo adentro levam cultura ao interior de Chapecó. projeto é o único da região sul contemplado no prêmio Funarte de artes visuais – periferias e interior 2018/2019.

A proposta iniciou em 2015, quando a Associação dos Artistas Visuais da Região Oeste de Santa Catarina (Adentro) foi contemplada no Edital Municipal de Fomento e Circulação das Linguagens Artísticas. O projeto “Entre pontes e pinguelas – Micro residências em comunidades do interior de Chapecó” levou os artistas da Adentro a levarem suas visões para além do perímetro urbano, nas comunidades de Sede Figueira, Linha Caravagio e Distrito Bormann, produzindo obras e registros poéticos, documentando experiências, promovendo oficinas e palestras.

Os resultados foram surpreendentes, tanto para os artistas quanto para a população que recebeu a intervenção cultural. “Tínhamos o intuito de resgatar fazeres e saberes locais, incentivar a formação de público, a produção e a difusão das artes em Chapecó. Íamos nas comunidades, conhecíamos as pessoas, a paisagem, a arquitetura e seus modos de vida. E a partir dessa convivência, cada artista desenvolveu um trabalho, dentro da sua linguagem. Depois fizemos uma exposição itinerante nas três comunidades”, conta a artista e presidente fundadora da Adentro, Sonia Loren. O resultado da pesquisa para as produções artísticas, com a memória oral e registros fotográficos es tão impressos no livro.

Indo além, o projeto foi contemplado pelo Prêmio Fundação Nacional de Artes (Funarte) de Artes Visuais – Periferias e Interior 2018/2019. Como o único da região Sul, “Entre pontes e pinguelas: estrada adentro, mundo afora” publicará o resultado das micro residências artísticas inter- -rurais em busca de saberes, fazeres, personagens, curiosidades, paisagens e arquitetura das comunidades periféricas de Chapecó, Trata-se de obras visuais, registros das ações e escritos de artistas como relatos de experiências advindas de uma imersão conjunta realizada de dezembro de 2018 a junho de 2019 nas comunidades de Rodeio Bonito, Linha Tafona, Faxinal dos Rosas e Linha Cachoeira.

“A curiosidade dos moradores acabou nos motivando, ainda mais, para que a arte aconteça mais perto deles. É a memória da vivência deles. Quando enxergamos com o olhar de artista e fotografamos um detalhe, que para eles é comum do dia a dia, eles passam a dar mais valor também”, relata a artista Leonice Araldi. Além de levar a arte até o interior, saindo das galerias urbanas, a Adentro ministrou oficinas de pintura e bordado coletivo, incentivando as comunidades a também desenvolver as habilidades artísticas.

TEM ARTE AQUI NO INTERIOR

“Tiveram que campear mais pra adentro,

 viram que não tem lugar muito exato se a gente se move.

Foram perguntando, se perguntando,

parando de casa em casa, demorando de pessoa em pessoa.

E ao procurar alguém que conheça,

talvez a gente se conheça.

Será que estamos muito longe dela,

longe de encontrá-la,

longe uns dos outros?

Tem vezes que é difícil o acesso.

Mas é que nem copo d’água,

não se nega a ninguém.

A gente tem que propor uns desvios,

cortar caminho,

pegar uns atalhos,

abrir umas porteiras.

Qualquer coisa, se cair na valeta,

a gente chama todo mundo pra ajudar a empurrar,

estamos nuns quantos!

Sempre-reto, pede informação,

o caminho: segue todavida,

como essa toda vida aqui vivida…

até encontrar, e se for preciso, inventar,

uma arte que seja toda, e de todos,

repleta de vidas.”

Trecho do texto de Diane Sbardelotto, que constará no livro do projeto da Funarte.

 

Sobre o autor

Carol Bonamigo

Carol Bonamigo

Jornalista, pós-graduada em Cinema, viciada em cultura pop e dependente de um app pra organizar todas as séries que assiste.

Deixe seu comentário

Gestor Box