COMPORTAMENTO SAÚDE E BEM-ESTAR

Cuidados na gestação e no parto

gravidez2

Resolução do CFM diz que escolha de cesariana em vez de parto normal deve prevalecer após 39ª semana.

Nesta segunda-feira (20), o Conselho Federal de Medicina (CFM) publicou uma resolução afirmando que gestantes que preferirem a cesariana em vez do parto normal têm direito de fazer prevalecer sua escolha, desde que a gravidez já tenha chegado à 39ª semana. A norma deve ser observada por todos os médicos no Brasil e deverá ser publicada ainda nesta semana no Diário Oficial da União.

De acordo com o CFM, isso diz respeito à segurança do feto, determinando que a cesariana, quando ocorre a pedido da paciente, só possa ser feita a partir da 39ª semana, a fim de garantir o desenvolvimento da criança. Quando a mãe quiser a cesárea e o médico achar melhor o parto normal, o profissional tem o direito de não realizar o procedimento. Segundo o CFM, médicos só não podem recusar fazer atos dos quais discordam quando há o risco de morte do paciente.

Ainda conforme as informações, a partir de dados do Instituto Nacional de Saúde da Criança e Desenvolvimento Humana (NICHD) dos Estados Unidos, entre 37 e 39 semanas, o bebê passa por uma fase crítica de desenvolvimento do cérebro, dos pulmões e do fígado. O parto antecipado, antes da 39ª semana, deve ser feito apenas quando há indicação médica.

Uma nova vida

DSC_0013Já falamos aqui na FV sobre os momentos até gestação, quando há dificuldade para que a gravidez aconteça naturalmente. Após esta etapa concluída, seja de maneira natural ou assistida, começa o preparo para a chegada do bebê. Noeli Rosa Pinheiro teve todo o acompanhamento de especialistas da Clínica da Mulher em Chapecó, deixando-a mais segura para a chegada de suas duas filhas. “Quando descobri que seriam gêmeas, fiquei muito assustada. Demorei a acostumar com a ideia, mas agora estou ansiosa para a chegada delas, é uma emoção muito grande”, comenta.

Segundo a Secretaria de Saúde de Chapecó, o município dispõe de acompanhamento à futura mamãe em todas as etapas necessárias desde a gestação, incluindo os cuidados com a mãe e o bebê. Além do pré-natal realizado nos Centros de Saúde da Família, há cursos de gestantes e toda a estrutura e especialistas da Clínica da Mulher, que também atendem gestantes de alto risco. Existem ainda programas como Infância Mais Amor, uma das ações direcionadas às gestantes em situação de vulnerabilidade, com foco nas adolescentes. Entre as atividades desenvolvidas pelo programa está o incentivo ao nascimento saudável, aleitamento materno, crescimento e desenvolvimento do bebê e alimentação saudável.

shutterstock_129248927

Raqueli do Prado está no quinto mês de gestação de seu terceiro filho. Apesar da experiência, participou do curso de gestantes oferecido pela Prefeitura e admite estar ainda mais preparada. “O conhecimento e o preparo ajudam, pois quando chegar o bebê, você sabe o que e como fazer”, afirma.

São programas como estes que têm contribuído para índices cada vez mais positivos na cidade. No ano de 2015, por exemplo, houve 81,21% na cobertura de pré-natal, na qual todas as gestantes recebem o acompanhamento necessário, passando por, pelo menos, sete consultas durante toda a gravidez. Uma conscientização que resultou em 37,53% de partos normais realizados em Chapecó, no ano passado.

Sobre o autor

Carol Bonamigo

Carol Bonamigo

Jornalista, pós-graduada em Cinema, viciada em cultura pop e dependente de um app pra organizar todas as séries que assiste.

Deixe seu comentário

Gestor Box