SAÚDE E BEM-ESTAR

Cuidados com a Leishmaniose Canina

gato-cachorro-wallpaper

Saiba mais sobre a doença que é transmitida pelo mosquito-palha.

A Leishmaniose Visceral Canina (LVC) é uma doença infecciosa grave, com alta taxa de letalidade, causada pelo parasita Leishmania chagasi. Transmitida pela picada do mosquito infectado, pode causar problemas dermatológicos (como perda de pelos em focinho, orelhas e região dos olhos), crescimento anormal das unhas, conjuntivite ou outros distúrbios oculares, emagrecimento progressivo, hemorragia intestinal, sendo capaz de causar o óbito do animal.

A transmissão ocorre pela picada das fêmeas infectadas do Lutzomyia longipalpis, conhecido como “mosquito-palha” ou “mosquito-pólvora”, que tenha se alimentado do sangue de um animal hospedeiro (reservatório): cão, em área urbana, e animais silvestres (gambás e raposas, por exemplo), em áreas de mata. O parasita se instala no hospedeiro, destruindo seus sistema imunológico. O cão, por ser um animal doméstico e estando intimamente próximo ao ser humano, representa um risco à saúde pública quando doente.

Segundo a médica veterinária Liandra Dall Orsoletta, os cães podem ser testados para a leishmaniose e, após ser confirmado o teste negativo, podem ser vacinados. “Coleiras e alguns produtos spot-on são indicados para a prevenção da picada, repelindo o mosquito”, explica. Ela ainda ressalta que os felinos são mais resistentes a doença e demoram mais para apresentarem os sintomas clínicos. “Para os gatos existe somente os testes de laboratório e demoram alguns dias para obter o resultado. Não há vacinas disponíveis para eles”, afirma a especialista.

Para a prevenção, o mais indicado pelos veterinários é o uso de coleiras com repelentes, que contenha um sistema de liberação com concentrações efetivas do ingrediente ativo durante todo o tempo. O custo médio dessas coleiras é de R$ 80,00 a R$ 250,00 – dependendo da marca e do princípio ativo – e possuem duração média entre seis a oito meses. “A coleira se torna uma boa opção porque repele o mosquito, além de atuar na prevenção de pulgas e carrapatos, e com duração de oito meses. A coleira não tem cheiro, é segura para o proprietário, não libera tóxico nenhum e deve ser bem ajustada no pescoço do animal para liberar a substância e ter uma repelência eficiente”, ressalta Liandra.

Sobre o autor

Flash Vip

Flash Vip

Revista catarinense com foco em cultura, comportamento, variedades e o que mais for pautado pelo cotidiano.

Deixe seu comentário

Gestor Box