CULTURA E VARIEDADES DESTAQUE

Caminho de Compostela: mil quilômetros, 30 dias, dois pés

FOTO 1

com Eloide Marconi

O que leva alguém percorrer cerca de mil quilômetros a pé, em 30 dias? Em 8 de maio de 2018 parti para uma das mais lindas aventuras da minha vida. O Caminho de Santiago de Compostela tem vários pontos de partida. Escolhi iniciá-lo na cidade de Saint-Jean-de-Pied-de-Port, Vilarejo Medieval localizado ao Sudoeste da França, que dista em torno de 8 km dos limites da Espanha, onde se cruza os Pirineus, com destino à cidade de Santiago de Compostela, ao Norte da Espanha.

Também conhecido como Caminho das Estrelas, foi assim denominado após um Eremita, por volta do ano 800, seguir as estrelas e chegar ao túmulo do Apóstolo Tiago. A partir de então, se iniciou um importante Caminho de Peregrinação, que foi declarado Patrimônio da Humanidade.

A igreja Notre-Dame-Du-Bout-Du-Pont, construída em estilo gótico

A igreja Notre-Dame-Du-Bout-Du-Pont, construída em estilo gótico

É quase indescritível a sensação de bem-estar que me proporcionou. Os aprendizados ao longo do seu percurso estarão comigo para sempre. Lá aprendi o que é solidariedade, companheirismo (de pessoas que jamais tinha visto), divisão de pertences, cuidado, amor por mim, amor pelo outro, amor por algo que nem sabia que existia: pelo simples, pelo básico, pela minha mochila Matilda (minha companheira e confidente ao longo do percurso) e pelas minhas papetes.

Foram incontáveis vilarejos, entre 25 e 40 quilômetros percorridos diariamente, mais de 30 lugares diferentes para dormir, sempre dividindo dormitórios e refeitório com peregrinos de vários países.

2º Dia de caminhada em direção a Roncesvalles, primeiro município espanhol a compor o Caminho de Compostela Francês, ou seja, o início é na França, mas alguns quilômetros após já se adentra na Espanha e todo o restante é neste país.

Siga as setas amarelas

Todo caminho é marcado por setas, na sua grande maioria na cor amarela. Se eventualmente o peregrino se afastar de sua rota, se dará conta que não está visualizando setas, então é só retroceder até o primeiro ponto que encontrar uma delas e seguir adiante.

O Caminho de Santiago é marcado pela diversidade das construções das Igrejas. Algumas muito robustas, outras de simplicidade marcante. Ao lado uma amostra do aconchego da Igreja de Hontanas.

As surpresas ao longo do caminho são constantes. Em Atapuerca foi necessário parar para dar passagem às dóceis ovelhinhas que cruzaram por mim. O vilarejo é um importante espaço europeu para estudos sobre paleontologia.

FOTO 12

Alto del Perdón, na Serra del Perdón, localizado aos arredores de Pamplona, com aproximadamente 1.020 metros de altitude. É um local de vento e frio intensos. O Monumento ao Peregrino que lá está é composto por formas de peregrinos, de diferentes épocas, bem como com a frase: “Onde se cruza o caminho do vento com o das estrelas”.

FOTO 11

Santa Catalina de Somoza é um charme só. Vilarejo pequenino, aconchegante, nas proximidades de Astorga. É parada obrigatória.

FOTO 10

Ao ter chegado aos pés da Catedral de Santiago de Compostela, a emoção tomou conta. Assistir a Missa do Peregrino, inclusive com o Botafumeiro, que é um dos pontos máximos da celebração (objeto no qual é colocado incenso e é utilizado, geralmente, em ritos religiosos), acessar o espaço onde está a estátua de Santiago, onde estão contidos seus restos mortais, tudo foi muito intenso.

A fonte do vinho em torno de 2 km de Estella, está instalada a Bodega Irache, uma fonte onde é possível degustar, gratuitamente, um bom vinho e para os que não são apreciadores, há também uma torneira com água.

O fim da terra

Passada a euforia da chegada e com tempo para caminhar mais alguns dias, em 3 de junho parti rumo a Finisterra – que em latim significa Fim da Terra, no litoral da Espanha.

Nas proximidades do povoado de Foncebadón, aproximadamente 1.500 metros de altitude, encontrase a Cruz de Ferro, um dos mais emblemáticos e antigos monumentos do percurso. O lugar é considerado místico, há o costume de depositar pedras aos pés da cruz com o objetivo de pedir proteção.

FOTO 17

Após uma longa e extenuante subida, chega-se à simpática aldeia, O Cebreiro, na Galícia, localizada cerca de 1.300 metros de altitude.

Este totem, sinaliza que restam somente 100 km para chegar ao tão esperado final do Caminho de Santiago de Compostela Francês. Deste ponto em diante, a concentração de pessoas percorrendo o trajeto provavelmente triplica. Para receber a Compostela, documento que certifica a distância percorrida, é necessário fazer no mínimo os últimos 100, comprovados através de pelo menos dois carimbos diários.

Tendo ainda um dia antes do retorno, para encerrar minha longa caminhada, fui à Corunha, onde realizei meus últimos passos, fazendo um tour naquela cidade belíssima.

A paz do Santuário de Nossa Senhora da Barca, em Muxia, localizado a três dias dos últimos quatro que percorri para chegar a Finisterra. É difícil descrever a sensação que tomou conta de mim na contemplação ao Santuário. Senti muita paz. Na verdade, a cidade em si transmite algo que acalenta.

Cabo de Finisterra. Marco Zero. Derradeiro cantinho da grande aventura! Para aqueles que acreditam que o caminho segue, após Santiago de Compostela, é no ponto do totem desta foto que ele finda, muito próximo do Farol de Finisterra.

Torre de Hércules, Farol Romano e mais antigo em funcionamento. Está situada em torno de 1.600 km do centro da cidade Corunha, na Galícia, Espanha.

Catedral de Santiago Há época da minha caminhada estava sendo reformada sua parte externa. Neste ponto a grande maioria dos peregrinos têm encontros muito especiais: consigo mesmo e com as outras pessoas que igualmente percorreram o percurso. O ápice da minha aventura ocorreu ali, aos pés da Catedral.

Então, o que ficou do caminho? Guardo-o como uma espécie de tesouro! Um acúmulo de emoções incontáveis. Por fim, se você que está lendo este texto e pensa em realizar o Caminho de Santiago de Compostela, vá e sinta as emoções que serão somente suas: únicas, reais, verdadeiras e que ninguém conseguirá apagá-las.

 

 

Sobre o autor

Flash Vip

Flash Vip

Revista catarinense com foco em cultura, comportamento, variedades e o que mais for pautado pelo cotidiano.

Deixe seu comentário

Gestor Box