SAÚDE E BEM-ESTAR

Baixas temperaturas favorecem o surgimento de doenças respiratórias

shutterstock_68663599-1280x853

Baixas temperaturas favorecem o surgimento de doenças respiratórias

O frio chegou e com ele também as famosas doenças do inverno. Resfriados, gripes, sinusites, otites, amigdalites, bronquites, asma… Enfim, são várias doenças que exacerbam nessa época do ano.

A mudança de temperatura, em especial no inverno, causa maior irritação e infecções das vias aéreas superiores (IVAS). Segundo o otorrinolaringologista Dr. Rodrigo Kohler, essa influência acontece, pois ficamos mais tempo em locais fechados e sem ventilação adequada, com uma maior concentração de poluentes no ar, deixando os ambientes mais frios e úmidos, o que pode proporcionar infecções.

“Roupas guardadas, contato com ácaros, gotícolas de saliva transmitidas através de tosses e espirros, além de compartilhamento de copos e talheres e até mesmo toalhas, deixam a pessoa mais vulnerável a adquirir uma infecção. Coriza, tosse, espirros, mal estar e dor corporal são os principais sintomas e as crianças e os idosos os mais afetados”, exemplifica o médico.

Conforme o Dr. Kohler, além da gripe, as tão famosas “ites” (sinusite, faringite, amigdalites) são as doenças mais comuns de se manifestar no inverno. “Os vírus são responsáveis por 90% das tão faladas ‘ites’. Existem inúmeros deles, portanto, mesmo o paciente sendo vacinado, pode adquirir a doença, devido à diversidade de sorotipos. Mas lembre-se, a vacinação é importante e evita casos graves da doença”, alerta.

O médico explica que os resfriados comuns têm uma evolução mais branda, como tosse e coriza, dor corporal, febre baixa, mas que não atrapalham as suas atividades diárias. Já as gripes, causada pelo vírus Influenza, tem o quadro mais intenso, com uma dor corporal abrupta e intensa, febre alta e mal-estar, dor de cabeça e, se não tratadas adequadamente, pode, evoluir para complicações como a otite, sinusite e até pneumonia. “As rinites têm como causa mais comum os alérgenos (poeira, ácaro, mofo), que devem ser tratados não apenas com medicamentos, mas também com a higiene ambiental. Já a sinusite, desde que tratada adequadamente, tem cura. Ao apresentar uma sinusite aguda secundária a um resfriado, pode usar os medicamentos corretos e resolver a infecção, porém existem alguns casos em que a sinusite se torna crônica e, às vezes, a única solução é a cirurgia”, orienta Dr. Kohler.

Portanto, fique atento. Se os sintomas de resfriado piorarem após cinco dias ou persistirem por mais de 10 dias, você pode ter uma complicação. O mais comum é a infecção bacteriana secundária, que precisa ser diagnosticada e tratada o quanto antes. O recomendado é seguir acompanhamento médico.

Dicas de Controle e Prevenção

– Sempre deixar o ambiente ventilado;

– Lavar as mãos com frequência, todos os dias;

– Beber bastante água, mesmo sem sentir sede;

– Manter o nariz sempre hidratado (lavar com soro fisiológico);

– Quando tossir ou espirrar, proteger com lenços a boca e o nariz;

– Evitar contato de crianças sadias com pessoas apresentando IVAS;

– Evitar acúmulo de poeira em casa;

– Evitar varrer a casa com vassoura, prefira passar pano úmido;

– Lavar e secar ao sol mantas, cobertores, blusas de lã guardadas por muito tempo;

– Dormir bem (tratar ronco e insônia, para melhorar as defesas do organismo).

 

Fonte: Carol Bonamigo Assessoria de Imprensa

 

Sobre o autor

Flash Vip

Flash Vip

Revista catarinense com foco em cultura, comportamento, variedades e o que mais for pautado pelo cotidiano.

Deixe seu comentário

Gestor Box